CELIGO

Adorado pelos clientes. Recomendado pelos especialistas.

celigo-logo

Celigo é o único iPaaS que automatiza processos de negócios em vários aplicativos em nuvem usando uma única integração pré-criada.

As novas Automações de Processos de Negócios da Celigo aplicam lógica de negócios integrada exclusiva para automatizar e otimizar processos com base nas melhores práticas do setor — sem a necessidade de recursos técnicos escassos.

O que é iPaaS?

Uma introdução ao iPaaS

Um iPaaS, ou plataforma de integração como serviço, é uma plataforma que padroniza a forma como os aplicativos são integrados em uma organização, facilitando a automação de processos de negócios e o compartilhamento de dados entre aplicativos.

“O que é iPaaS?” Vídeo explicativo

Ao alavancar as tecnologias iPaaS, as empresas em crescimento podem eliminar processos manuais e reduzir a dependência de planilhas e e-mail, ao mesmo tempo em que aumentam a visibilidade, a velocidade e a precisão em toda a organização.

O desafio da integração hoje

A variedade de business applications disponíveis hoje, atende a todos os desafios concebíveis que uma empresa pode encontrar. A maioria desses aplicativos é simples de usar, fácil de configurar, oferece interfaces bonitas e não requer treinamento.
Dashboards de business applications modernos

Como os aplicativos são tão fáceis de implantar, as equipes de TI não são mais responsáveis pela compra e implementação de muitos business applications. Agora, os departamentos individualmente podem escolher os melhores aplicativos que desejam para lidar melhor com suas tarefas específicas. Essa tendência é resultado direto da “Consumerização da Empresa” e gerou uma explosão no número de aplicativos SaaS, chamados de  SaaS sprawl , que não mostra sinais de desaceleração.

Por exemplo, o infográfico do Chief Martech abaixo ilustra como era o cenário de aplicativos de tecnologia de marketing em 2011 em comparação ao dias atuais:

 
Proliferação de Business Applications de 2011 a 2019. Copyright Chief Martech

PROTEÇÃO AVANÇADA DE MANEIRA SIMPLES.

O excesso

Mas, por mais incríveis e essenciais que muitos dessas aplicações possam ser, é possível ter um grande volume delas?

O Excesso

Mas, por mais incríveis e essenciais que muitos dessas aplicações possam ser, é possível ter um grande volume delas?

Colaboradores isolados em diferentes departamentos podem não ver como seus dados e processos individuais se encaixam no funcionamento da organização mais ampla, e esses aplicativos geram e precisam de seus próprios dados. No entanto, muitos processos críticos de negócios (Quote-to-cash,  3PL fulfillment, item management, procure-to-pay,) abrangem uma variedade de aplicativos em vários departamentos.

À medida que o volume de dados cresce, também aumentam os data silos, levando a processos manuais, entrada de dados, gerenciamento por meio de planilhas e e-mail, falta de visibilidade em toda a organização e erros manuais caros. A troca fluida de informações é fundamental em qualquer organização, grande ou pequena. À medida que o volume de dados e a complexidade de uma organização se expandem, é fundamental estabelecer uma estratégia de automação robusta.

Um componente chave dessa abordagem envolve conectar aplicativos diferentes. Esse processo é conhecido como ” integração”  e, para alcançá-lo, a maioria das empresas usa uma miscelânea de táticas para combinar seus diversos processos de negócios.

POR QUE O ENDPOINT SOPHOS É O MELHOR DO MUNDO?

Como as empresas lidam com as integrações

O conceito de integração de aplicativos existe há anos. Mas para a maioria das empresas, é uma reflexão tardia depois que novos aplicativos são adicionados. A partir daí, os projetos de integração são abordados conforme a necessidade. Quando finalmente avançam, as empresas costumam usar uma colcha de retalhos de soluções de integração de aplicações.

Integrações Nativas ou Construídas pelo Fornecedor

A maioria dos softwares inclui integrações nativas prontas para uso, permitindo que os usuários se conectem rapidamente a aplicações específicas. Por exemplo, praticamente todas as ferramentas de automação de marketing hoje se conectam diretamente ao Salesforce. Isso é muito conveniente, geralmente cobre os casos de uso mais populares e geralmente não tem custos de assinatura adicionais.

No entanto, o desafio das integrações nativas é que elas são projetadas para serem vendidas e renovadas e normalmente cobrem apenas os casos que sejam mais vantajosos comercialmente para o fornecedor. Isso significa que eles geralmente são estáticos, não projetados com flexibilidade suficiente ou recursos de personalização para lidar com casos mais complexos.

Conectores ponto a ponto (P2P) de terceiros

Assim como as integrações criadas pelo fornecedor, os conectores ponto a ponto podem ser muito convenientes e econômicos em um primeiro momento. No entanto, eles geralmente são bem específicos para uma solução e não foram projetados com flexibilidade para acomodar processos de negócios maiores. Além disso, com milhares de aplicações em nuvem disponíveis hoje, é difícil desenvolver conectores ponto a ponto individuais para cada permutação possível de aplicativos de negócios.

Integrações (DIY) desenvolvidas internamente

Qualquer um pode construir sua própria integração. Ao disponibilizar códigos e APIs, as integrações personalizadas podem ser muito poderosas e geralmente são o caminho preferido por muitas equipes operacionais. No entanto, por exigirem recursos técnicos treinados e consumirem muito tempo, é difícil construí-los de maneira escalável e robusta. Por exemplo, a integração requer a funcionalidade crítica, como tratamento de erros e entrega de dados garantida, que não são triviais para construir do zero para cada integração. Além disso, à medida que os processos mudam, essas integrações de aplicativos precisam ser meticulosamente mantidas e atualizadas por recursos técnicos especializados.

Tipos de Integrações

Prós

Contras

Construído pelo fornecedor ou nativo.
Lida com muitos casos de uso comuns, mais fácil de configurar
Limitada em escopo e capacidade de lidar com personalizações e casos mais avançados
Ponto a ponto de terceiros (P2P)
Simples de usar, baixos custos iniciais
Específicas para uma demanda, número limitado de casos de uso pré construídos, difícil de personalizar e dimensionar
Construa você mesmo
Maior controle e personalização
Forte dependência de recursos técnicos para construção e manutenção, difícil de dimensionar

Padronizando integrações com iPaaS

Uma das estratégias de integração cada vez mais comuns atualmente envolve a adoção de uma Plataforma de Integração como Serviço, ou iPaaS.

O termo “iPaaS” foi cunhado pela empresa de consultoria Gartner ao se referir a uma plataforma de integração baseada em nuvem que facilita muito a conexão de aplicações e processos de negócios. As soluções da Plataforma de Integração como Serviço padronizam de forma holística como os aplicativos são adicionados a uma organização, facilitando a movimentação de dados estáticos ou transacionais entre os aplicativos, ao mesmo tempo em que fornece funcionalidade de integração crítica pronta para uso.

Alavancar uma plataforma de integração faz sentido para empresas em crescimento, pois padroniza como monitorar, manter e atualizar processos entre aplicativos, que são adicionados e alterados todos os dias. As empresas podem integrar rapidamente os aplicativos aos processos de negócios e não precisam mais reinventar a roda com a funcionalidade de integração de construção. Com o iPaaS certo, usuários de linha de negócios (“integradores”) e usuários técnicos (“profissionais de integração”) podem criar, gerenciar e manter integrações.

O termo iPaaS é relativamente desconhecido. No entanto, de acordo com o Gartner, a integração Platform As a Service é o segmento que mais cresce no mercado corporativo.

Recursos comuns das soluções iPaaS

As funcionalidades das soluções de plataforma como serviço de integração geralmente incluem:
  • Entrega de dados garantida

A capacidade de reter dados até que cheguem com segurança ao seu destino.

  • Manipulação de erros

A capacidade de indicar onde ocorrem erros na transferência de dados.

  • Conectores de endpoint

As soluções iPaaS normalmente facilitam a conexão com aplicativos específicos sem a necessidade de codificar diretamente via API; isso inclui conectores para aplicações específicas, bem como para protocolos de comunicação universal, como FTP/SFTP; HTTP/S, OFTP, OFTP2; padrões XML; bem como EDI, EDIFACT, SWIFT e muitos outros.

  • Gestão de dados

Permite apenas usuários que recebem permissão específica para acessar dados.

  • Gerenciamento do ciclo de vida

Um console centralizado para uso na criação, gerenciamento e controle de integrações; desenvolver fluxos de integração que automatizem a troca de dados entre aplicações diferentes, fontes de siloed data e parceiros comerciais.

  • Ferramentas de desenvolvimento

Ferramentas de desenvolvedor que permitem profunda personalização e complexidade ao criar fluxos de integração.

Padronizando integrações com iPaaS

O conceito de integração já existe há algum tempo. Em cada nova era de aplicações comerciais (Mainframe, Cliente/Servidor, ASP, SaaS, etc) um novo conjunto de tecnologias de integração apareceu para conectar os aplicativos que surgiram.
Por conta disso, a abordagem de design das próprias soluções de integração está uma geração atrás do design dos aplicativos com os quais elas foram criadas para se conectar. A primeira geração de soluções de integração de plataforma como serviço (o que chamamos de iPaaS 1.0) foi desenvolvida em resposta à primeira geração de aplicativos SaaS. Era uma época em que os departamentos de TI possuíam, gerenciavam e mantinham principalmente todos os sistemas e aplicativos de uma empresa, de modo que as plataformas iPaaS foram desenvolvidas exclusivamente para profissionais técnicos treinados nelas.
No entanto, à medida que o número de aplicações corporativas explodiu, a responsabilidade de aquisição e gerenciamento de aplicativos passou para departamentos individuais. Independente de uma equipe de TI, esses usuários agora têm o poder de decidir sobre as ferramentas de que precisam para enfrentar melhor seus desafios de negócios. Na verdade, muitas empresas não têm nenhum departamento de TI, mas ainda conseguem crescer mais rápido do que as empresas que ainda dependem da infraestrutura de TI legada.

As integrações personalizadas conduzidas inteiramente por equipes técnicas não são mais adequadas nesta nova era.

Os elementos do iPaaS 2.0

Então, o que há de diferente com a próxima geração de soluções iPaaS? Os usuários de hoje desenvolveram certas expectativas de como os aplicativos em nuvem devem funcionar, e um esquema iPaaS 2.0 deve refletir essa sensibilidade. Isso significa:
  • As plataformas precisam ser tão intuitivas quanto qualquer aplicação em nuvem

  • As integrações podem ser federadas em diferentes partes da organização

  • As melhores práticas devem ser produzidas em aplicativos de integração pré-criados que podem ser licenciados e reutilizados
  • Os usuários devem ser orientados claramente através do processo de integração

  • Deve ser fácil de implantar, personalizar, manter e dimensionar

  • Os modelos de preços devem atender às necessidades e acomodar pequenas e grandes empresas

Aproveitando as melhores práticas pré-criadas

Muitos casos de uso de integração já foram executados e documentados, lead to cash, procure to pay, hire to retire e muito mais. É importante para a próxima geração de iPaaS facilitar o aproveitamento desse trabalho em futuras integrações, por meio de conectores, modelos e aplicativos de integração, para que os fluxos de trabalho não precisem mais ser reconstruídos do zero.

iPaaS 2.0 como um componente chave de qualquer estratégia de automação

A automação é uma das táticas mais importantes para garantir o sucesso operacional em uma era de crescente concorrência e altas expectativas dos clientes. A integração é um componente chave para qualquer estratégia de automação. Hoje, a tecnologia iPaaS 2.0 está se tornando uma parte mais crítica da pilha de tecnologia de uma empresa e deve ser considerada muito mais cedo no ciclo de vida de uma empresa do que normalmente é.

Com a próxima geração de soluções de plataforma como serviço de integração, a TI pode centralizar integrações e automação em uma única plataforma, reduzindo significativamente o tempo e os recursos necessários para criar e manter essas integrações. A facilidade de uso do iPaaS permite que as integrações sejam feitas por consultores funcionais, desenvolvedores juniores ou até mesmo usuários não técnicos. Como qualquer pessoa pode gerenciar uma integração, ela pode ser transferida para outros departamentos, liberando recursos de TI para migrar para outros projetos e gastar tempo em atividades mais valiosas.

A automação é uma das táticas mais importantes para garantir o sucesso operacional em uma era de crescente concorrência e altas expectativas dos clientes. A integração é um componente chave da automação. Uma estratégia de integração bem pensada suportada por uma solução robusta de iPaaS 2.0 garante que os aplicativos funcionem em conjunto, eliminando processos manuais, falta de visibilidade e erros caros, permitindo que as empresas sejam mais adaptáveis em ambientes de negócios em constante mudança.
A automação é o futuro dos negócios, e as empresas que não adotarem uma estratégia de integração de aplicativos poderosa e holística perderão para as que o fizerem.

O que você está esperando?