fbpx

Blog

21 de março de 2019

O que é o blockchain?

Blockchain é um dos maiores chavões da tecnologia no momento. Mas o que é isso? E por que todos os seus amigos e familiares estão falando sobre isso?

Vamos começar do começo. A primeira grande aplicação da tecnologia blockchain foi o bitcoin, lançado em 2009. Bitcoin é uma criptocorrência e o blockchain é a tecnologia que o sustenta. Uma criptomoeda refere-se a uma moeda digital que é executada em uma blockchain.

Entender como o blockchain funciona com o bitcoin nos permitirá ver como a tecnologia pode ser transferida para muitos outros casos de uso do mundo real.

Bitcoin é a ideia de uma pessoa misteriosa ou grupo de pessoas conhecido como Satoshi Nakamoto. Ninguém sabe a identidade de Nakamoto, mas sua visão foi apresentada em um artigo de 2009 chamado “Bitcoin: um sistema de dinheiro eletrônico peer-to-peer”.

O blockchain de bitcoin

O blockchain por trás do bitcoin é um livro-razão público de todas as transações que ocorreram. Não pode ser adulterado ou alterado de forma retrospectiva. Defensores da tecnologia dizem que isso torna as transações de bitcoin mais seguras do que os sistemas atuais.

Então, aqui estão alguns fatos sobre o bitcoin:

  • Não é emitido por uma autoridade central.
  • Existe um limite de 21 milhões.
  • Atualmente pouco mais de 17 milhões estão em circulação.
  • Acredita-se que a primeira transação usando bitcoin seja realizada por um programador chamado Laszlo Hanyecz, que gastou 10.000 bitcoins em duas pizzas do Papa John’s em 2010.
  • A identidade do criador de bitcoins Satoshi Nakamoto permanece um mistério.

    Blockchain

Como funciona?

O blockchain de bitcoins é “descentralizado”, o que significa que não é controlado por uma autoridade central.

Enquanto as moedas tradicionais são emitidas pelos bancos centrais, o bitcoin não tem autoridade central. Em vez disso, o blockchain do bitcoin é mantido por uma rede de pessoas conhecidas como mineiros.

Esses “mineiros”, às vezes chamados de “nós” na rede, são pessoas que executam computadores de propósito específico que estão realmente competindo para resolver problemas matemáticos complexos para fazer uma transação passar.

Por exemplo, digamos que muitas pessoas estão fazendo transações de bitcoin. Cada transação se origina de uma carteira que tem uma “chave privada”. Esta é uma assinatura digital e fornece uma prova matemática de que a transação veio do proprietário da carteira.

Agora imagine que muitas transações estão ocorrendo em todo o mundo. Essas transações individuais são agrupadas em um bloco, organizadas por regras criptográficas rígidas. O bloco é enviado para a rede bitcoin, composta por pessoas que executam computadores de alta potência. Esses computadores competem para validar as transações tentando resolver enigmas matemáticos complexos.

O vencedor recebe um prêmio em bitcoin.

Este bloco validado é então adicionado aos blocos anteriores, criando uma cadeia de blocos chamada blockchain.

Como o blockchain é à prova de falsificação

Uma das vantagens do blockchain é que ele não pode ser adulterado. Cada bloco que é adicionado à cadeia carrega uma referência criptográfica rígida ao bloco anterior.

Essa referência faz parte do problema matemático que precisa ser resolvido para trazer o seguinte bloco para a rede e a cadeia. Parte da solução do quebra-cabeça envolve o cálculo do número aleatório chamado “nonce”. O nonce, combinado com os outros dados, como o tamanho da transação, cria uma impressão digital chamada hash. Isso é criptografado, tornando-o seguro.

Cada hash é único e deve atender a certas condições criptográficas. Quando isso acontece, um bloco é concluído e adicionado à cadeia. Para adulterar isso, cada bloco anterior, dos quais existem mais de meio milhão, exigiria que os quebra-cabeças criptográficos fossem refinados, o que é impossível.

Fonte: CNBC

Dicas, Segurança, Sem categoria ,
Sobre deise aneli

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *